A caneta e a borracha.

Novembro 29, 2008

Até o Ivan leu hein…eita Banes!

Mas a frase foi só pra começar mesmo. Na verdade, estou querendo começar muitas coisas, ou acabar (não apagar) velhas coisas. Dá no mesmo.

Há dias escrevo aqui, e apago, escrevo, apago….não vou  mais apagar; mesmo que fique sem nexo, ou com a vírgula fora do lugar…não vou apagar.

O certo seria escrever no papel sempre a caneta, muito mais quando o escrito é direcionado a alguém, só assim não teria como apagar, ou como pensar em escrever de forma mais bonita ou feia, sendo que o que vale foi o que acabou de escrever, sem retoques. Lápis é acessório, para fazer provas de matemática.

Nada como uma caneta, né? Não dá pra apagar. E eu não vou apagar.

A borracha é cúmplice do lápis…pô, errei! pode deixar que eu apago! (tá ficando sem nexo? eu falei que não ia apagar, agora vai ficar assim…coitada da borracha).

Mas, sempre que escrevo aqui tenho a nítida, clara e verdadeira impressão de que não sou clara….(mesmo porque clara é a borracha)…fico aqui escrevendo frases, que as vezes fazem ou não sentido pra quem lê, mas pra quem escreve, faz…só não consigo explicar o sentido. Não há nada de errado comigo não, só que às vezes tenho momentos de epifania internos. Normal para quem gosta de Clarice Lispéctor e Lya Luft, minhas professoras do olhar para dentro de si. Olhar e não apagar.

A caneta ensina. A borracha pode borrar às vezes.

Então, mas, pra variar, eu não sei onde quero chegar com tudo isso. Só sei que quero muita coisa…vai ver a conclusão é essa.

menina-maravilha.

Julho 14, 2008

(TEXTO ESCRITO 3 OU 4 ANOS ATRÁS)

Bom, vou escrever um texto beeeem grande porque daí tenho certeza de que quase ninguém vai ler…pq eu não leio os textos grandes dos outros. Então vou começar: bem, eu sou uma menina-mulher, acho que tenho certo medo de me tornar de uma vez por todas somente mulher. Deve ser muita responsabilidade. Mas, um dia isso terá que acontecer…e eu quero que esse dia chegue, fico até ansiosa, pra ser sincera. Tenho a impressão de que quando eu deixar de ser menina, as coisas na minha vida que até hj não deram certo, terão grande chances de dar. Mas isso deixa pro dia em que eu virar mulher de vez….tá bom assim…gosto de ser menina(apesar dos 23 anos). Mas eu não quero perder esse meu lado criança(de verdade!)…ser adulto, tudo bem, agora pensar como adulto??!!…hum…mto chato. Na verdade, o certo não é virar mulher então, e sim, mulher-menina…….ah, mas e as coisas que eu acho que darão certo qdo perder meu lado menina??………xi…mas as coisas já estão dando certo…pq precisam dar MAIS certo?…….Uma coisa de menina que faço muito na hora de escrever são as reticências…acho que meninas sempre dão outra chance, nunca colocam o ponto final definitivo em nada, somente qdo for algo muito grave, claro. Mas, no restante, as meninas são sábias…porque dar um fim a tudo como uma mulher decidida faz?…se a vida fosse tão certa assim…(será que alguém leu até aqui?…ó…essa coisa de saber se leu até aqui ou não é algo de menina…rs)
…Pronto, decidi: me tornarei uma mulher-menina.(…..nossa, q mulher!!!…..). Serei feliz, tenho certeza.
.(…)

Alô…alguém aí?

Julho 2, 2008

tu-tu-tu…..

e quantas não são as vezes que o “tu-tu-tu” nos encontra?

Tututu é aquilo que queremos ouvir de alguém, mas….sem resposta…tututu…

Tututu é aquilo que esperamos do outro…pode ser uma atitude, uma frase, uma palavra, um carinho, mas….tututu…..

Tututu é o vazio que nos preenche no momento da incerteza, ou da certeza incerta….do caminho que se percorre, percorre, mas o destino…..nossa, ainda tá longeee………..tututu.

Alô! Opaaa, alô, não tututu!

O alô é quando o que esperamos acontece, seja o que for…a resposta…o carinho…a frase…a pessoa…….

Alô!!!!!

Rodeios.

Maio 2, 2008

Nossa…quanto tempo que não escrevo…eita

…vou escrever….na verdade já to escrevendo né…até idéias me virem na mente, vou escrevendo “nadas”. Porque parecem “nadas”, mas já preencheram três linhas! Normalmente é assim quando não se tem nada pra falar objetivamente, fica-se nos rodeios…assim como na escrita.

Mas pode-se tirar algo de bom dos diversos rodeios por aí. Por exemplo, esse rodeio, me fez lembrar das diversas vezes em que falar ou escrever podem se transformar numa tarefa árdua…as quais os rodeios são as entrelinhas, e o quanto se torce pra que alguém consiga as decifrar, ou não, depende…agora por exemplo, não há uma mensagem importante nas entrelinhas….só os rodeios mesmo.

Eu rodeio…mas tu rodeias também e nós rodiamos…o problema é quando eu não decifro, tu não decifra e, conseqüentemente, não deciframos as entrelinhas um do outro, daí fica difícil.

Todo ano é a mesma coisa…ano novo, vida nova! Vida nova????????

Tudo continua a mesma coisa…algumas realizações virão, mas não porque é ano novo…vieram, ou não. E vieram nesse ano(ou não) simplesmente porque existe a contagem de tempo através dos anos, e assim o seria se a contagem dos anos fosse por décadas, etc.

Se prender a ano novo pra fazer coisa nova é o que não vale. Igualmente para as pessoas que esperam chegar segunda-feira para fazer dieta…rs…enganam a si próprias, não é? o tempo de mudar é AGORA, não daqui uma semana, ou mês, ou ano…etc. quem quer realmente mudar não precisa de prazo para que isso aconteça, é quase um processo “fisiológico-inserido”.

E vamos aproveitar o ano novo……….mas como o ano é feito de meses, semanas, dias, horas, minutos, JÁ!

Lado positivo.

Novembro 23, 2007

Desisto.

Ou não?

Momento.

Novembro 2, 2007

 

Não sei..mas tem certas coisas que acontecem e a gente não entende mesmo a(s) razão(ões). Ou aconteceram no momento errado, ou simplesmente não acontecem.

Conhecer a pessoa “certa” no momento errado ou a pessoa “errada” no momento certo parece que já faz parte, como se alguem estivesse testando a nossa paciência ou algo que o valha. Aposto que uma das duas coisas já aconteceu com você, ou ambas.

 

Por um momento passei a acreditar que ou não existe a pessoa certa, ou eu sempre sou a errada das outras pessoas. Que errado.

 

Simplesmente não existe a pessoa certa pro resto da vida…ou a errada. Tem aquela que, no momento, te agrada de alguma maneira…Porém, isto agora, porque pode ser que há 10 anos, a pessoa certa de hoje se torne a errada de amanhã, ou vice-versa.

Apreciar o momento, independente do tempo que este dure, é essencial. Um momento de 1 ano pode não ser tão intenso e precioso quanto a um de 10 minutos….e a gente só percebe isso depois que já passou….

Apreciar cada minuto é intensificar a importância do momento fazendo com que ele se torne uma lembrança difícil de se esquecer, e se passar rápido, algo gostoso de se lembrar.